Quem sou eu

Minha foto
Petrópolis, RJ, Brazil
Danny Reis, cantora, revisora e tradutora. Apaixonada por artes, idiomas e comportamento.

quinta-feira, 15 de março de 2012

O inferno são os outros!


Muita gente reclama, e com razão, da falta de educação das pessoas. Da falta de repeito, outras da inveja, outras ainda da falsidade. Concordo que tudo isso é bem desagradável. Mas um comportamento tem me deixado ainda mais incomodada, por ser cada vez maior: o individualismo.

Certos comportamentos me irritam demais, mas não é por ser muito “certinha” ou “careta”. Um exemplo está numa simples ida ao supermercado. Não é raro encontrarmos, ao fazer compras, carrinhos parados bem longe de seus “donos”, que nem sequer se preocupam em deixá-los no canto, para não atrapalhar ninguém.

Outras pessoas param no meio de uma rua, já estreita, em frente ao jornaleiro, para ler as notícias do dia. Pra que se incomodar com os outros que estão passando apressados? Dar passagem? Nunca. Problema deles!

Está chovendo, seu guarda-chuva é enorme e você precisa esperar pelo ônibus? Esqueça os outros que estão bem ali atrás, tentando ver se sua condução se aproxima. O que importa é você se proteger, mesmo que seu guarda-chuva tape a visão deles.

E é isso que me irrita de verdade: eu sempre me preocupo em não incomodar. Mas parece que sou exceção.

Outro dia assisti a um vídeo que vai justamente na direção oposta desta tendência. Achei incrível:



Vamos passar adiante essa ideia? Pois como dizia o profeta, “gentileza gera gentileza”.

2 comentários:

  1. Sinceramente, Danny, a gente às vezes fica um pouco receoso e até desiludido de que isso possa fazer efeito. Ontem mesmo voou um plástico gigante do caminhão de lixo na Voluntários da Pátria e ele não podia parar por causa do fluxo de carros. O plástico podia causar um acidente se voasse e tapasse a visão de algum motorista, então eu fui até o meio da rua, peguei, enrolei, levei até a esquina, onde tinha alguns entulhos, e coloquei o plástico lá no meio, preso, p/ que não voasse. Parecia que eu era um alienígena, ao ponto de eu mesmo me sentir esquisito por ter feito aquilo. Infelizmente, é estranho agir assim, mesmo p/ nós que concordamos com a ideia. Mas muito maneiro o vídeo! Vou mandar p/ uma galera e tenho certeza de que muitos vão zoar ou desfazer da ideia.. mas valeu. Bjo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você se sentiu meio alienígena, mas ao mesmo tempo, não deu uma sensação boa? Pra mim, pelo menos, dá. Não sei agir diferente, que nem o pobre do papagaio, tentando apagar um incêndio com o bico...
      E se os outros vão desfazer da ideia, paciência. Acho que ainda vai ter quem a compre. ;-)
      Beijos,
      Danny.

      Excluir

Revise também!